Política de retenção de colaboradores

Os industriais paranaenses pesquisados dizem que nos momentos de baixa produção: irão “manter os funcionários contratados” (50,98%); “darão férias coletivas” (31,73%); “farão um banco de horas” (27,99%); “reduzirão o nível de emprego” (21,21%); “reduzirão a jornada de trabalho e manterão os salários” (6,24%) e “reduzirão a jornada de trabalho e os salários” (1,78%).

Fonte: XIII Sondagem Industrial 2008. 2009: A visão dos líderes industriais paranaenses. FIEP SEBRAE

Retenção de talentos é estratégico.

Segundo a edição 2010 da pesquisa “Panorama Setorial”, conduzida pela Deloitte no período de outubro a dezembro de 2009, com 573 organizações, a segunda estratégia mais importante (46% das empresas) é a “Retenção de capital humano e desenvolvimento de talentos”. Esta preocupação só é superada pela necessidade de “Desenvolvimento e fornecimento de novos produtos e serviços”

Fonte: Mundo Corporativo (Revista da Deloitte). Nº27. Jan-mar/2010. Pg. 13.

As missões do gestor de RH

Segundo Vicente Picarelli Filho, da Deloitte, o gestor do Capital Humano tem duas missões na organização. Como administrador, cuidar dos serviços de recursos humanos e do atendimento aos aspectos legais. Como estrategista, responder pela performance organizacional e pelo desenvolvimento da força de trabalho.

Fonte: Deloitte. Mundo Corporativo. Nº 24 abril-junho. 2009. Pg.27.

Uma interessante análise da Rotatividade

Setores como Varejo e Call Centers têm uma Rotatividade tipicamente elevada. Nesses tipos de negócios, uma Rotatividade de 40% pode ser considerada Classe Mundial. Em muitos casos, a Rotatividade pode ser correlacionada com a política salarial adotada. Salários menores correspondem a Rotatividade mais elevada. Trata-se, portanto, de uma estratégia de negócio.

Veja mais: http://www.hrcapitalist.com/2008/11/64-percent-turnover-sometimes-thats-pretty-good.html (em inglês).

Capacitação das equipes técnicas

A IDCON, empresa de consultoria norte-americana, identificou uma indústria que estima perder 37% de sua equipe de manutenção nos próximos 7 anos, tomando como base a aposentadoria com 63 anos de idade em média. Embora a realidade brasileira seja bastante distinta, análises semelhantes podem antecipar problemas e permitir que ações de capacitação das equipes sejam tomadas em tempo hábil para evitar prejuízos. Afinal, com o arrefecimento da crise, o “apagão de pessoal” voltará a ser tema das conversas dos profissionais de RH

Fonte: Pulp & Paper International. September 2009. p. 13.

A rotatividade deve ser adequada à estratégia da organização

A Rotatividade ideal é aquela em que a organização consegue reter seu pessoal bem qualificado e substituir aqueles que apresentam deficiência no desempenho. A rigor, o valor ótimo dependerá da situação específica de cada organização e do mercado. Portanto, é importante entender que a rotatividade deve ser adequada às peculiaridades do setor e à estratégia da organização. Assim, é esperado que a rotatividade ótima no varejo seja superior aquela de uma empresa de software, por exemplo.