logo

banner-logo
Principal
Empresa
Missão
Valores
Produtos
Clientes
Parceiros
Palestras
Benchmarking
FAQ
Links
Referências
Glossário
Fale conosco
Como chegar
Políticas
Mapa

 Página melhor visualizada com:
  Resolução: 1024x768 pixels


 



     Glossário:


Este glossário objetiva compartilhar e disseminar os conceitos e definições operacionais que utilizamos em nossos trabalhos, reconhecendo a importância de explicitar a terminologia adotada pela empresa, pois seus significados necessitam de um entendimento homogêneo por todos aqueles que trabalham conosco ou fazem uso de nossos serviços.

 

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N |
| O | P | Q | R | S | T | U | V | X | Z

A

Ação corretiva – Ação implementada para eliminar as causas de uma não-conformidade, de um defeito ou de outra situação indesejável existente, a fim de prevenir sua repetição. (NBR ISO 8402).

Ação preventiva - Ação implementada para eliminar as causas de uma possível não-conformidade, defeito ou outra situação indesejável, a fim de prevenir sua ocorrência. (NBR ISO 8402).

Análise competitiva - Análise da importância e razão do gap entre as medidas de performance de uma organização e das organizações competidoras (APQC).

Análise crítica – Verificação profunda e global de um projeto, produto, serviço, processo ou informação com relação a requisitos, objetivando a identificação de problemas e a proposição de soluções (PNQ 2001).

Análise do ambiente – É o conjunto de técnicas que permitem identificar e monitorar continuamente as variáveis que afetam a competitividade da organização.

B

Back-up – Termo que descreve tanto equipamentos reserva para uso em caso de problemas com os usualmente utilizados como a cópias de dados e informações feitas por motivo de segurança, visando a garantia da integridade dos mesmos em casos de falhas ou de ações de má-fé.

Benchmark – Ver “Referencial de excelência”.

Benchmarking – Ver “Comparação com as melhores práticas”.

BSC – Conjunto balanceado de indicadores (Balanced Score Card). Metodologia proposta por Kaplan & Norton da Universidade de Harvard para implementação da estratégia nas empresas através de um conjunto de indicadores.

C

Capabilidade (Cp) – Faixa (range) de variação da especificação dividida pela faixa de variação real (6 sigma) do processo (FPNQ).

Comparação com as melhores práticas – Trata-se de um processo contínuo de comparação de práticas de gestão, que pode incluir a comparação de estratégias, procedimentos, operações, sistemas, processos, produtos e serviços. Essa comparação é feita com organizações líderes reconhecidas no mercado, inclusive com líderes de ramos de atividade diferentes da organização, para identificar as oportunidades de melhoria do desempenho (PNQ 2001).

Competência competitiva – É a qualidade ou habilidade marcante que efetivamente cria benefícios que conquistam e fidelizam o cliente.

Confiabilidade – É a capacidade de um item desempenhar uma função requerida sob condições especificadas, durante um dado intervalo de tempo (NBR-5462).

Definição operacional: É o percentual do tempo que uma instalação está mecanicamente disponível para trabalhar como projetado, quando operando nas condições de projeto.

Concorrente – É qualquer empresa com a qual o cliente compara a sua empresa (Lição nº 1 na Universidade Disney).

Consumidor – É toda pessoa física ou jurídica que adquire ou utiliza produto ou serviço como destinatário final (Lei 8078, de 11.09.90).

D

Dados - Conjuntos de valores, numéricos ou não, sem significado próprio (Glossário UNESP).

Desempenho – Resultados obtidos de processos e de produtos que permitem avaliá-los e compará-los em relação às metas, aos padrões, aos referenciais pertinentes e a outros processos e produtos (PNQ 2001).

Desperdício – É tudo aquilo que não adiciona valor ao produto (Plantullo, 2002).

Despesas operacionais – São aquelas necessárias ao processamento da operação de uma organização.

Driver – Indicador de esforço ou ação.

E

Eficácia – Refere-se à capacidade de executar uma determinada tarefa de maneira a atingir os objetivos estabelecidos. “É fazer a coisa certa” (PNQ 2001).

Eficiência – Refere-se a capacidade de executar corretamente uma determinada tarefa com o melhor aproveitamento (otimização) dos recursos disponíveis. “É fazer certo a coisa” (PNQ 2001).
Conjunto de atributos que evidenciam o relacionamento entre o nível de desempenho na geração de um produto ou serviço e a quantidade de recursos usados, sob condições estabelecidas (Baseado na NBR 13596).

Estratégia competitiva – É o que a empresa decide fazer ou não fazer, considerando o ambiente, para concretizar a visão e atingir os objetivos, respeitando os princípios, visando cumprir a missão no seu negócio (Vasconcellos e Pagnoncelli).

F

G

Gap –Diferença de performance entre o benchmark, para uma atividade particular, e outras empresas na comparação direta; vantagem da medida ou indicador de uma organização líder sobre as demais (APQC). Espaço para melhoria em relação aos melhores do setor.

Gerência da rotina – É o conjunto de ações que visam manter a qualidade do produto ou processo, impedindo que ela caia com o tempo. Consiste no estabelecimento de um sistema de padrões e de seu aperfeiçoamento contínuo pela análise de processo e solução de problemas.

Gerenciar - É conduzir, simultaneamente, as ações de rotina e de melhorias (Vicente Falconi).

H

I

Incubadora - Ver Incubadora de Empresas

Incubadora de Empresas – Entidade que tem como objetivo apoiar a criação e consolidação de empresas. Geralmente oferece infra-estrutura física e administrativa para os empreendimentos, além de orientação empresarial, assessoria jurídica e mercadológica.

Indicadores – São medidas ou dados numéricos estabelecidos sobre os processos que queremos controlar.

Indicador de desempenho – É um dado numérico a que se atribui uma meta e que é trazido, periodicamente, à atenção dos gestores de uma organização (FPNQ).

Informação – Dados que foram processados, compreendendo um determinado significado para um uso particular (Glossário UNESP).

Informações comparativas – Práticas de gestão ou resultados de concorrentes, referenciais de excelência, melhor do setor e/ou outros referenciais que possam ser utilizados para fins de comparação pela semelhança na natureza da atividade, das estratégias e das prioridades considerando o perfil da organização (PNQ 2001).

Inventário – É tudo aquilo que o sistema investe em coisas que pretende transformar em dinheiro (Plantullo, 2002).

J

Just in Time (JIT) - Originado no Japão, a partir de observações feitas sobre o modo de operação dos supermercados norte-americanos, tem como fundamento o equilíbrio total entre a demanda do mercado e a oferta de bens.

K

L

Linha de referência – Nível de desempenho que, no futuro, será considerado o ponto de partida para medir o progresso alcançado.

M

Manutenção – É a função responsável por conservar uma instalação industrial no seu nível de desempenho de projeto e pela gestão dos recursos necessários para isto (Chemical Manufacturers Association).

Mapa estratégico – É o documento, geralmente apresentado na forma de um diagrama, que registra os principais desafios, obstáculos e restrições – bem como suas relações - ao atingimento dos objetivos da organização.

Melhor prática - São aquelas práticas que tem se mostrado superiores em resultados; selecionadas por um processos sistemático e julgadas como exemplares, boas ou de sucesso demonstrado. A Melhor prática é então adaptada para se ajustar a uma organização desde que cada organização é particularmente diferente.

Meta (goal) – Declaração de desempenho desejado. É o valor pretendido para um indicador, a ser atingido em determinadas condições estabelecidas no planejamento. Nas empresas que usam o benchmark, as metas derivam dos marcos de referência.

Método – Procedimento de execução utilizado em cada uma das atividades de um processo (Pires, 2003).

Medição – Ação de aplicar uma métrica de atributo ou desempenho a um produto ou serviço (Baseado na NBR 13596).

Missão – A razão de ser de uma organização, as necessidades sociais a que ela atende e seu foco fundamental de atividades (PNQ 2001).

N

Não-conformidade de processo – É um desvio em relação aos procedimentos de processo, detectado e registrado pelos responsáveis por sua execução ou auditoria (FPNQ – 2ª ed.).

Negócio – É o entendimento do principal benefício esperado pelo cliente (Vasconcellos e Pagnoncelli).

O

Objetivos – São resultados que a empresa precisa alcançar em prazo determinado para concretizar sua visão sendo competitiva nos ambientes atual e futuro (Vasconcellos e Pagnoncelli).

Organização – Qualquer grupo, companhia, indústria, universidade, unidade governamental, etc. que use ou queira fazer uso dos nossos serviços.

Outcome - Indicador de resultado.

P

Padronização – Atividade sistemática de estabelecer e utilizar padrões. A padronização é a base do gerenciamento da rotina.

Painel de bordo – Conjunto dos indicadores do nível estratégico.

Planejamento estratégico – É um processo sistemático para a tomada de decisões, visando garantir o sucesso da empresa em seu ambiente futuro. (Ansoff). É o processo que mobiliza a empresa para escolher e construir o seu futuro (Vasconcellos e Pagnoncelli).

Política da Qualidade – Intenções e diretrizes globais de uma organização relativas à qualidade, formalmente expressas pela alta administração (NBR ISO 8402).

Princípios – São os balizamentos para o processo decisório e o comportamento da empresa no cumprimento da sua missão (Vasconcellos e Pagnoncelli).

Processo – Conjunto de recursos e atividades inter-relacionadas que transformam insumos (entradas) em produtos (saídas) (NBR ISO 8402).   Processo é um conjunto de causas (Falconi, 1992) logo, é bem representado pelo Diagrama de causa e efeito de Ishikawa. Um processo complexo é composto por um conjunto de outros processos que, no contexto do processo maior, são denominados subprocessos.

Produtividade – É conseguir cada vez mais com cada vez menos (Buckminster Fuller).

Q

Qualidade – Totalidade de características de uma entidade que lhe confere a capacidade de satisfazer as necessidades explícitas e implícitas dos clientes (PNQ 2001).

R

Referencial de excelência – Líder reconhecido mundialmente, no país, na região e/ou no setor, utilizado para efeito de comparação de desempenho. O termo também pode ser utilizado para designar uma prática ou um resultado que seja considerado o melhor da classe (PNQ 2001).

Requisitos – Necessidades básicas dos clientes ou das demais partes interessadas, explicitadas por eles, de maneira formal ou informal. Geralmente são explicitadas como condição de negócio no contrato com o fornecedor. São características tais como: especificações técnicas, prazo de entrega, garantia, que o cliente “requer” do produto.

S

Sistema – Conjunto de elementos com uma finalidade comum, que se relacionam entre si, formando um todo dinâmico (PNQ 2001). Conjunto de pessoas, recursos financeiros, instalações, materiais, energia e informações, estruturado para realizar um processo i.e. atingir um resultado desejado (Pires, 2003).

Sistema de medição – Conjunto de indicadores de uma organização.

Stand-alone – Computador que opera de forma independente, sem conexão com outros.

T

Tecnologia – É o conjunto ordenado de todos os conhecimentos – científicos, empíricos e intuitivos – empregados na produção e comercialização de bens e serviços (Sábato 1972).

Tecnologia da informação – Compreende todos os recursos tecnológicos para armazenagem, tratamento e recuperação de dados no sentido de prover a organização e a sociedade em geral de informações úteis ao seu desenvolvimento (Pires, 2003).

Teiam - É um processo para gerar e coletar idéias dos colaboradores para aprimorar as atividades da organização, valorizando o conhecimento de quem faz.

U

Upgrade – É uma reforma para modernização do equipamento existente, objetivando aumentar sua capacidade, eficiência, durabilidade; incluindo a redução de emissão de poluentes e aumento da segurança operacional (Catálogo da CBC Indústrias Pesadas S.A.).

V

Validação – Confirmação, por exame e fornecimento de evidência objetiva, de que os requisitos específicos para um uso pretendido são atendidos (NBR ISO 8402).

Valores organizacionais – Entendimentos e expectativas que descrevem como os profissionais da organização se comportam e sobre os quais as relações organizacionais estão baseadas (PNQ 2001).

Variável crítica – É um parâmetro de processo que influencia significativamente a conformidade ou o valor relativo do produto/serviço (FPNQ – 2ª ed.).

Visão – É o estado que a organização deseja atingir no futuro. A visão tem a intenção de propiciar o direcionamento dos rumos de uma organização (PNQ 2001).

W

X

Y

Z

 

deb webdesign
Copyright © B&A 2003
logo